Segunda-feira, 18 de Setembro de 2006

Saúde e Centro de Saúde

Cada dia que passa, ouvimos, lemos ou simplesmente passa pela nossa vista, um sem número de acontecimentos em que ficamos sempre na dúvida:

 

- Será culpa dos Médicos?

- Será culpa dos Enfermeiros?

- Será culpa das instalações de saúde?

- Será culpa do Estado?

- Será exagero das pessoas?

 

Será que a aflição de ver um dos nossos doente e com as suas condições de saúde agravadas, após as primeiras medidas médicas tomadas por quem "sabe da poda", nos condiciona o sangue frio e a capacidade de pensar sobre os assuntos de forma racional e sem entrar em exageros de culpar tudo e todos?

Eu creio que tudo é possível e de tudo um pouco existirá nas notícias que nos chegam...

 

...mas porque escrevo eu isto?

Eu digo e de forma simples e directa, até porque desta vez aconteceu com "os meus", se bem que não lancei o assunto "a quente", também esperei que o paciente saísse do hospital e essencialmente que a família directa se pronunciasse sobre o caso.

Assim foi e assim aqui estou eu:

- Uma pergunta de leigo na matéria de medicina e para quem a queira ou saiba responder:

Será possível um médico confundir sintomas de MENINGITE com uns simples GASES?

Haverá em alguma circunstância a possibilidade de após uma noite de VÓMITOS, DORES DE CABEÇA, FEBRE E PROSTRAÇÃO, que um ilustre médico diagnostique num serviço de urgência de um Centro de Saúde que o paciente, uma criança de 5 anos, tenha GASES?

Pois, no Centro de Saúde de Estremoz (que por acaso é a minha terra, mas poderia ser noutra qualquer), foi possível (!), reencaminhou-se o paciente para casa, a Ben-u-ron e Brufen e (pasme-se Aero-on (aquilo que qualquer pai dá a uma criança mesmo sem saber de medicina, faz parte do ABC de ser pai) com um rol de queixas do miúdo que resultou em três dias de internamento hospitalar, felizmente, acabando tudo bem porque a Meningite era apenas viral , apesar dos sintomas da bacteriana serem idênticos.

O "Pedro" está bem, já voltou a correr e a dar cabo da cabeça aos pais por ser criança, e os gases que tem são os mesmos de sempre, uns "punzitos" (mal) cheirosos de criança.

Quanto ao Centro de Saúde, lá está no mesmo sitio e a prestar o melhor serviço possível (esperemos nós), pena que, e até que alguém me explique se há alguma relação nestes sintomas que eu não consigo ver, existam profissionais que fazem da saúde alheia apenas uma questão de profissão e de cumprimento de horários.

É que sinceramente, nunca me passaria pela cabeça que um filho meu após insistentes queixas de dores de cabeça, vómitos, febre e prostração se limitasse a ter gases e que passariam com uma ida ao WC e umas gotas de Aero-on , mas como é óbvio, isto sou eu a dizer que não sou médico.

A história toda está em http://altodapraca.blogspot.com

António José Ramos às 19:31
link | diz lá tu
7 comentários:
De paulo a 19 de Setembro de 2006
VOTEM EM QUEM VAI GANHAR O CAMPEONATO DISTRITAL

http://montemor-evora-arraiolos.blogspot.com/
De Sandra R a 21 de Setembro de 2006
Cada vez estamos piores... É por estas e por outras que eu não confio nos "nossos" médicos nem na saúde pública. Ainda bem que o "piqueno" já tá melhor. Beijinhos
De lumife a 21 de Setembro de 2006
Mais um bom motivo para se saber como vai a saúde em Portugal. Um abraço
De Aflita a 24 de Setembro de 2006
Faça-se o diagnóstico da saúde em Estremoz e digam o nome do(a) médico(a) para que a população de Estremoz saiba com que dedos se cose ou melhor onde andamos a pôr a saúde dos nossos filhos. Raios os partam.
De António José Ramos a 26 de Setembro de 2006
"aflita"(??) @ - minha cara(?), não me compete a mim identificar o médico, aliás, se os responsáveis da saúde quiserem, facilmente saberão o necessário para agir... de qualquer forma, não poderei deixar de estranhar que quem pede uma identificação não o faça também(!!), enfim, coisas de anonimatos...
De Cristina Ramos a 26 de Setembro de 2006
Pois é, o nosso Centro de Saúde está num caos, realmente não se pode confiar nos médicos(ou em alguns médicos), e digo isto porquê?
Na semana passada o meu sobrinho Gonçalo tb tinha febre e como não estava a passar ao fim de três dias, resolveram os pais ir à urgência. Diagnóstico uma pequena otite e um antibiótico, pois bem, como já iam + de seis dias e a febre não passava lá foram ao seu pediatra que depois da consulta mandou-os ir ao hospital de Évora fazer um raio X aos pulmões e umas análises, felizmente apenas tem o pulmão um pouco atacado e alguma expecturação que um ben-u-ron ou um brufen fará com que passe, mas a questão foi que o menino não tem otite e estava a tomar um antibiótico que diz o Pediatra "nunca o passaria a uma criança" .
E agora pergunto?
Como pode um pai ou mãe saber o que é melhor para o filho ou em quem pode confiar?
De cheguevara a 29 de Setembro de 2006
querem "debater Sousel?"


http://cheguevara_2006.blogs.sapo.pt

Comentar post

procura aqui...

subscrever feeds

Alentejanices...

todas as tags

há mais estas...