Segunda-feira, 16 de Outubro de 2006

LUSOFONIA

Ele há coisas que me revoltam mesmo ou então mexem demais com o meu portuguesismo bairrista (será?) de "Nação Valente e Imortal", mas que hei-de fazer...

Isto a propósito de algo que observei (via TV e Jornais, entenda-se) durante a realização dos "1ºs Jogos da Lusofonia" a decorrer em Macau.

Informo que sou um defensor da realização destes jogos e que a quantidade de pessoas e países por esse Mundo fora onde a nossa língua é falada exige a realização de eventos, sejam eles de que expressão forem, que fortaleçam os laços desta "comunidade".

Mas estas coisas tem de ter regras e quando falamos de "Lusofonia", falamos de uma coisa muito nossa e o respeito deve-se... exige-se... e tem de existir de e para quem quer participar.

Só participa quem quer e só é parte integrante da Lusofonia quem assim o entende. O pior é quando observamos aberrações como a demonstrada mais uma vez por Moçambique.

Digo mais uma vez porque aqui há uns anos atrás, revoltou-me a decisão de tornar oficial como língua de Moçambique o Inglês, bem como a sua adesão ou pedido para tal, à  "Commonwealt ", não por assim terem decidido (são livres e por isso o destino a eles pertence), mas porque quando toca a pedir ajudas, subsídios, perdões e outras coisas mais, lá vem eles até Portugal, apelar ao "Mundo Lusófono " e jamais ao "Mundo Anglosaxónico" que se estão bem a "borrifar" para eles.

O que se pede é que escolham de vez e agora que decidiram participar nos "Jogos da Lusofonia", espero que para os próximos os obriguem a escrever nas camisolas:

 

MOÇAMBIQUE

em vez do actual...

 

MOZAMBIQUE

 

Volto a referir que por mim até podem usar tal expressão em competições de outro cariz qualquer, agora nos Jogos da Lusofonia... NÃO... é mesmo proibido .

António José Ramos às 15:48
link do post | diz lá tu

ano X... por António José Ramos

correio para mim, é aqui
connosco

ESTREMOZ

Estremoz

escuta aqui a

Rádio Despertar - on-line

procura aqui...

subscrever feeds

Alentejanices...

todas as tags

há mais estas...