Domingo, 17 de Agosto de 2008

"Estremozice histórica"

Sabia que faz hoje, 17 de Agosto, 310 anos que...

 

...por Estremoz e no tempo da Guerra da Aclamação e por esse motivo, umas dependências do Palácio de D. Dinis servissem de Armazém Provincial a "muitos milhares de arrobas de pólvora e um enorme volume de munições carregadas".

 

"o dia de 17 de Agosto de 1698, acordou sem nuvens e assim se manteve até por volta das 11 horas da manhã, altura em que irrompia um violento, e terrivelmente ameaçador, incêndio no armazém das munições. Sentiu-se por toda a vila e à sua volta uma explosão medonha, provocada pela pólvora e que deu origem ao incêndio. As chamas projectavam-se pelos ares, misturadas com explosões de bombas, granadas, pedregulhos e caliça. Os armazéns e o Palácio voaram num ápice pelo espaço e a Torre de Menagem sofreu grandes estragos. O pavoroso incêndio propagou-se rapidamente às casas contíguas onde moravam algumas centenas de pessoas, que fugiam alucinadamente pela encosta abaixo, alucinando e pondo também em fuga todos os que mais longe do Palácio habitavam parando apenas nos montes dos arredores, alguns chegaram mesmo a Borba e Vila Viçosa, assustados pela violência das explosões que se sucediam e pelo voar, a grande distância, de imensos barris de pólvora que não rebentando, deixavam na ideia dos estremocenses a perspectiva de uma maior e incontrolável tragédia."

"o abalo da explosão e o incêndio atingiram muitas ruas da parte alta da vila, ficando a Rua de Mau-Foro completamente obstruída, do Convento de Santo Agostinho e enquanto os frades descalços celebravam a missa, apenas se salvou a igreja, apesar das portas terem ficado reduzidas a cinzas, a Alcaidaria, dependência do Palácio desfez-se em ruínas, a Igreja de Santa Maria ficou fortemente danificada escapando apenas a Capela-Mor, do Palácio de D.Dinis sobrou apenas a Capelinha da Rainha Santa Isabel, qual milagre da "nossa" Santa." Perdeu-se o Palácio de D.Dinis, bem como todo o seu valioso recheio, entre o qual se destacava a "Tenda do Imperador Carlos V de Espanha, tomada a D. João de Áustria na Batalha do Ameixial, e que era toda em tecido de seda, guarnecida de oiro com cordões e borlas do mesmo tecido, com a sua secretária de valor incalculável, bem como a toda a bagagem tomada nas batalhas do Ameixial e Montes Claros. Por estranho que pareça e segundo a história desta catástrofe, apenas se contabilizaram 14 mortos e foi sobre as ruínas do Palácio de D.Dinis que D.João V mandou edificar a soberba armaria onde hoje está instalada a Pousada Rainha Santa Isabel.

Como sempre acontece nestas situações, a inspiração e a vontade de relembrar o que se perdeu, deu inspiração "a uma musa para a seguinte oitava":

 

"Do armazém esta máquina galharda

Com tal ímpeto voa sem asas

Que parece a Esfera se acobarda

Entre tanto tropel de cinza e brazas

Em subir a essas nuvens pouco tarda

E em descer sentelhas em casas

Sendo já no baixar e no erguer

Exalação ao subir e raio ao descer"

 

(apoio histórico em "Estremoz e o seu termo regional" de Marques Crespo)

 

 

Alentejanices...:
António José Ramos às 11:34
link do post | diz lá tu

ano X... por António José Ramos

correio para mim, é aqui
connosco

ESTREMOZ

Estremoz

escuta aqui a

Rádio Despertar - on-line

procura aqui...

subscrever feeds

Alentejanices...

todas as tags

há mais estas...