Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

"que raio de título é que um tipo que tem um blog dá a um artigo que fale sobre comentários destes?"

"a continuação"...

 

Parece que a minha "briga" luso-brasileira continua e há quem faça por activá-la conforme vai passando o tempo... tou a ficar famoso por terras de " Vera Cruz"...

 

ups!! é melhor dizer "terras do Brasil" antes que me chamem de novo "colonialista":

  

De Rodrigo L. a 4 de Junho de 2008 às 12:57
Sobre a caixinha de leite: me falaram que esse é só o número da bobina. Eu creio que todo o leite que sobra nas prateleiras volta e é repasteurizado e colocado em caixas idênticas ao leite de "1ª linha". Sobre o comentário preconceituoso do dono do blog...vá se catar meu chapa, estamos num mato sem cachorro por causa de ti. Digo de ti, por que ao que parece se mantém em tua pessoa a cultura que possibilitou a construção de um modelo de colonialismo destruidor. Séculos se passam, alemães, italianos, japoneses, suecos e afins europeus, que se beneficiaram muito com a exploração colonial, reconhecem suas dívidas com as ex-colonias e procuram meios de reparar os erros de seu paises. Ao que parece, Portugal, assim como seu rei covarde que fugiu de seu reino, continua fugindo, se escamotendo e criando barreiras, não só economicas e de imigração, mas também culturais, estas muito bem representada pelo rapaz que não deve ter a menor noção da miséria, destruição, atraso social e humano que o seu país implementou no Brasil. O Brasil é grande, mas foi pequeno para a mesquinheza portuguesa.
 
Para seguir os capítulos anteriores da novela:
 
 
Alentejanices...:
António José Ramos às 12:37
link do post | diz lá tu
1 comentário:
De António José Ramos a 5 de Junho de 2008 às 14:15
Ou o meu "amigo" não quer ou não sabe ler. Não costumo responder a este tipo de presunções ou juízos de valor mas ok, cá vai:
A história existe e foi feita por quem a podia fazer o resto são "balelas" criadas por "chapas" como o visitante.
Não tenho, nem quero quaisquer presunções ou tiques de colonialismo, racismos ou xenofobias e como é obvio também não as gosto de ver utilizadas em quem constantemente sofre desse sindroma e se sente uma vitima cosntante, nesses sim, os ditos existem. Mas se o querem ser, ok sejam felizes. Releia o meu texto e faça de novo a sua análise, se continuar a achar o mesmo. Temos pena, o que escrevi é claro para mim e é isso que interessa, quanto ao facto de vir do "outro lado do atlântico"? pois vem , basta ver o português utilizado e qualquer um percebe que a origem é brasileira e É SÓ A ISSO QUE ME REFIRO... Questionei as empresas de Portugal sobre o assunto e disso fiz eco, outros fizeram o mesmo pelo Brasil e tiveram as respostas que tiveram, quanto ao resto não há duvidas, o mail original com a história é do Brasil...
adeus e "cada um cata-se quando quer como cada um lê os blogs alheios quando quer...", de certeza que este não lhe entrou pela casa dentro sem que tenha desejado lê-lo. Quanto às ofensas, olhe passam-me bem ao lado...
saudações para o Brasil que merece saudações... como em tudo na vida, há uns melhores e outro piores... é assim a raça humana!

Comentar post

ano X... por António José Ramos

correio para mim, é aqui
connosco

ESTREMOZ

Estremoz

escuta aqui a

Rádio Despertar - on-line

procura aqui...

subscrever feeds

Alentejanices...

todas as tags

há mais estas...